Módulo 2

Módulo 2 - Acessibilidade Web e Tecnologias de Apoio

Semanas 4 e 5 – de 21 abril a 4 maio 2014

 

A finalidade do segundo módulo é abordar questões técnicas sobre a acessibilidade Web e as tecnologias de apoio à aprendizagem.

A variedade de recursos do módulo 2 fizeram-me tomar consciência da existência de tecnologias que desconhecia, sobretudo ligadas à aprendizagem de alunos com NEE. 

O comentário que deixei face à questão: Da sua experiência pessoal ou profissional pode relatar que tipo de tecnologias viu usar por aluno com necessidades especiais ou pessoa com deficiência que contribuíssem de forma decisiva para a respetiva participação e atividade? foi o seguinte:

Paula Cristina de Almeida Costa disse...

Olá a todos! Relativamente à questão colocada devo referir que pouca experiência tenho com alunos com NEE na sala de aula. Ao longo de 14 anos de ensino, que se dividem entre 1º e 2º ciclo EB, tive, no 1ºCEB, uma aluna com deficiência motora e com deficit cognitivo. O trabalho com esta aluna era adaptado mas nunca utilizei as TIC na sala de aula. Estávamos em 2004, a minha experiência com alunos NEE era nula, a escola tinha apenas uma sala TIC com 6 pc e uma professora de "apoio" que pouco trabalhava com a aluna (dado ter muitos outros alunos). Quando a turma ia à sala TIC a aluna jogava com os seus colegas e fazia as atividades propostas com a minha ajuda. Manuseava o rato facilmente embora tivesse mais dificuldades na utilização do teclado. Mais tarde, em 2006 e no 2º CEB,tive outra aluna com paralisia cerebral que estava a assistir às aulas de ciências, mas cujas fichas de trabalho estavam ao nível do 1º ciclo. Não tínhamos na sala nenhum material de apoio ao trabalho com esta aluna, que estava na aula apenas para socializar com os colegas, pois a maioria do trabalho era feito pela equipa da educação especial, na sala de ensino especial. O mesmo aconteceu com outro aluno portador de Trissomia XXI que ía à aula de Ciências para socializar com os colegas e para o qual eu preparava umas fichas, ao nível do 1º Ciclo, que ajudava o aluno a realizar na aula. Apenas no 1º ciclo senti que havia inclusão, ainda que com muitas limitações ao nível das adequações necessárias à aluna, não só do ponto de vista físico da escola, mas do ponto de vista da equidade de oportunidade de aprendizagem dessa aluna face aos restantes colegas da escola. No 2º ciclo, das duas experiências que tive, penso que houve outra estratégia de inclusão que, em minha opinião, podia estar adequada aos alunos em questão, pois a "falta" de preparação da professora da disciplina (eu) era colmatada com as professoras e técnicas do ensino especial. Relativamente à utilização de tecnologias de apoio a minha experiência é nula.

Abraços

Paula

27 de Abril de 2014 às 08:46

Paula Cristina de Almeida Costa disse...

Gostaria de deixar aqui um comentário face aos materiais de apoio disponibilizados e face aos testemunhos apresentados pelos professores nas webinares e nos videos. Não tinha noção real dos meios tecnológicos de apoio a pessoas com deficiência e fiquei bastante agradada com o manancial disponibilizado para a infoinclusão destas mesmas pessoas. Também desconhecia a existência das diretrizes de acessibilidade para conteúdos na Web e da existência da Unidade de Acesso. Quanto a esta última, e após a ter experimentado num wiki que produzi com recursos educativos digitais para o ensino das Ciências (fruto da minha investigação de Doutoramento), não consegui perceber que tipo de erro apresenta o link que lá coloquei, pelo que não consegui "avaliar" o wiki quanto à acessibilidade. Será que alguém me poderá ajudar com esta questão?

Agradeço os materiais disponibilizados pois são de um importante contributo, não só para o que existe como apoio a pessoas com deficiência, mas também para quem quer produzir materiais adequados aos seus alunos e realidades. Por este motivo reitero a minha "ignorância" já postada em comentário no módulo 1 e reforço a importância da minha participação neste MOOC! Obrigada!

27 de Abril de 2014 às 10:01 

 

Relativamente à Unidade de Acesso fiquei positivamente impressionada com a quantidade de recursos para cidadãos com Necessidades Especiais que desconhecia. Na exploração do referido portal também pude ter acesso a publicações onde constam estudos, mas também legislação diversa, Manuais, Livros On-line e Apontadores pra diversos relatórios e outras publicações. Destaco também um conjunto de Tutoriais bastantes interessantes para quem quer melhorar a qualidade, em termos de acessibilidade, dos conteúdos web que produz.

No que diz respeito às webinares disponibilizadas destaco a do Dr. Jorge Fernandes que deixou um conjunto de ideias e sugestões muito direcionadas para o wordpress mas que me colocaram algumas questões para melhorar os recursos educativos digitais que tenho concebido e que não tiveram em linha de conta as questões de acessibilidade, pois na altura não tinha nenhum alunos com necessidades especiais, fica o desafio para melhorar o que já tenho feito. 

A webinar acerca dos Centros de Recursos TIC para a Educaçao Especial foram outra agradável surpresa. Desconhecia a existência de uma rede tão vasta a nivel nacional, 25 Centros em 2008. Desconhecia o formulário de Avaliação dos Alunos apresentado pela Dra. Alda Lopes, na minha experiência profissional solicitei a avaliação de alguns alunos mas os procedimentos seguintes nunca me foram dados a conhecer. Também desconhecia o Guia dos CRTIC e das Tecnologias de Apoio que apresentam um conjunto de informações bastante pertinentes não só relativmente aos Centros mas mais importante,do meu ponto de vista, um conjunto de Tecnologias de Apoio para as mais variadas necessidades. Aponto como menos valia a qualidade das imagens apresentadas no referido documento, pois quem desconhece as tecnologias não fica muito elucidado quanto às mesmas.

Quanto ao trabalho solicitado, mais uma vez trabalhei com os restantes colegas do grupo IncluTIC e elaboramos uma síntese das Directrizes de Acessibilidade para o Conteúdo da Web (WCAG) 2.0, segundo as recomendações W3C de 11 de Dezembro de 2008. Para isso recorremos ao software Lino e intitulamos o nosso trabalho IncluTIC - Módulo 2.

 

Contacto